MANUAL DE ACOLHIMENTO E BOAS PRÁTICAS

As normas de conduta do clube surgem no sentido de otimizar as relações que naturalmente vão sendo criadas, sobretudo as que se referem com as atitudes e comportamentos ditos apropriados/inapropriados, pretendendo-se evitar a arbitrariedade com vista à unificação comportamental, prevenindo e remediando todas as questões que surgem no quotidiano de uma academia de futebol.

 

INSTALAÇÕES

O complexo desportivo da União Desportiva e Recreativa de Algés (UDRA) possui balneários, gabinete de coordenação desportiva, gabinete de fisioterapia, salas de reuniões, casas de banho, arrecadação de material e secretaria administrativa.  O desenvolvimento do futebol de formação desenvolve-se no campo Dr. Simões Alves, pertencente ao complexo UDRA, campo de piso sintético com iluminação artificial.

 

UTILIZAÇÃO DAS INSTALAÇÕES

O acesso ao estacionamento dentro do complexo UDRA é limitado e aconselhamos a colocarem as vossas viaturas nas imediações do mesmo evitando congestionamentos.

Todos deverão ser pontuais e assíduos para que o desenrolar das atividades seja produtivo.

Os praticantes só entram no campo de futebol após a indicação do treinador para início do treino, devendo aguardar a sua chegada, de forma disciplinada. Não são permitidos jogos de bola ou outros no átrio da entrada.

Durante os treinos, jogos ou atividades, os Encarregados de Educação não poderão entrar na zona de balneários, sem autorização prévia do respetivo Diretor ou Treinador.

No decorrer dos treinos, jogos ou atividades, os Encarregados de Educação deverão permanecer nos locais indicados, não sendo permitido a sua permanência dentro do relvado.

 

PLANO DE FUNCIONAMENTO

- O plano anual de atividades prevê a sua execução entre o dia 1 de setembro e meados do mês de julho, sendo que cada escalão poderá sofrer alguns ajustes mediante campeonato ou torneios de verão.

- Não estão previstas interrupções de maior, seja em período de férias ou festivos, de qualquer forma, se houver uma paragem não prevista das atividades será comunicada a todos os intervenientes com antecedência.

- Se por razões de força maior, o(s) treinador(es) se virem impossibilitados de comparecer no treino à hora definida, a escola providenciará se possível uma substituição do treinador em questão.

- A ausência dos treinos, jogos e/ou atividades por parte dos atletas, deve ser sempre justificada ao Treinador respetivo, de preferência com antecedência.

 

SECRETARIA

A secretaria estará aberta todos os dias uteis das 17:00 às 20:30 e aos sábados das 10:30 às 13:30.

É aqui que se realizam todos os pagamentos referentes a joias, seguros, quotas mensais, aquisição de materiais desportivos ou outros.

 

INSCRIÇÃO:

É realizada mediante o preenchimento da respetiva ficha de inscrição e leitura obrigatória do MANUAL DE ACOLHIMENTO E BOAS PRÁTICAS, comprometendo-se o Encarregado de Educação/Representante Legal ao seu cumprimento. No ato da inscrição o praticante terá que pagar a joia e o seguro desportivo, bem como o pack de equipamentos de competição UDRA, perfazendo um total de 150€ e que inclui, 2 kits de treino (camisola, calções e meias) + 2 kits de jogo (camisola, calção e meias personalizados, principal e alternativo) + fato de treino personalizado + saco personalizado.

 

É expressamente proibido o uso de fatos de treino ou de equipamentos de treino com símbolos de outros clubes.

 

Atletas que venham de outro clube acresce a verba de transferência, cobrada pela Associação de Futebol de Lisboa (AFL) valor de 37,50€. Para transferências internacionais ou processos FIFA os valores poderão ter variações daí terem de se informar com o Diretor da Entidade Desportiva.

 

As quotas mensais deverão ser pagas, antecipadamente até ao dia 8 de cada mês, os atletas que estejam ausentes do clube por motivos de férias ou doença prolongada ficarão ausentes do pagamento da quota mensal do período em causa. Atleta que esteja lesionado, mas continue a fazer trabalho limitado no campo ou no gabinete de fisioterapia terá de liquidar as quotizações.

Caso não seja efetuado o pagamento durante 2 meses, o atleta será considerado desistente perdendo todos os seus direitos. Se o mesmo quiser retomar os treinos, terá de se reinscrever. Atletas sem a quotização em dia não terão direito a acionar o seu seguro desportivo.

 

Todos os pagamentos poderão ser feitos em numerário, multibanco, ou por referência de pagamento de serviços (solicitar na secretaria, caso pretenda esta modalidade).

 

Qualquer desistência de frequência deve ser comunicada por escrito com 30 dias de antecedência, sendo suspenso o pagamento da mensalidade a partir do mês seguinte.

 

CARTA DE DISPENSA:

Ao assinar pelo UDRA assume um compromisso para a época desportiva em questão, fazendo com que o lugar do atleta na equipa seja ocupado pelo mesmo e em que a sua quotização será fundamental para o cumprimento do orçamento anual da equipa.

 

A UDRA dará sempre a carta de dispensa, no caso de alteração de residência e se o atleta for jogar para um clube de distrito fora de Lisboa, terá de pagar os custos de inscrição na AFL (definidos pela mesma por escalão).

 

A partir do mês de DEZEMBRO, Caso pretendam a carta de dispensa por outra qualquer razão terão de cobrir as quotizações dos restantes meses que faltam para o terminar da época desportiva. Exemplo; atleta que queira a carta de dispensa em março terá de liquidar as quotas mensais de março, abril, maio e junho.

 

LESÕES

Todas as lesões em treino ou jogo, deverão ser comunicadas de imediato ao treinador ou ao coordenador técnico e este de acordo com o gabinete de fisioterapia indicará o procedimento a seguir. A academia não é responsável por lesões ou doenças ocorridas fora da academia.

 

LESÃO SEM GRAVIDADE – deve ser acompanhada pelo Gabinete de Fisioterapia que planeará a sua recuperação.

 

LESÃO MODERADA – após avaliação do Gabinete de Fisioterapia é decidido que este deverá realizar alguns exames complementares e ter acompanhamento médico, devem dirigir-se à Clinica Lambert, que possui protocolo com a UDRA e onde pagarão apenas a taxa moderadora de 20€ para todos os cuidados médicos.

 

LESÃO GRAVE – devem dirigir-se ao Serviço de Urgência local, e comunicar com a coordenação técnica ou direção no sentido de acionar o seguro de acidentes desportivos.

 

ACIONAR SEGURO DESPORTIVO – este tem de ser acionado até 48 horas do acidente e será preenchido na secretaria sobe orientação do coordenador ou diretor da entidade de formação, de preferência na presença do lesado e do seu encarregado de educação.

 

DISPOSIÇÕES COMUNS

Todos os elementos da Entidade Formadora devem:

- Cumprir e zelar pelo cumprimento do manual de acolhimento e boas práticas.

- Ser assíduos e pontuais no cumprimento dos horários.

- Promover entre si um bom convívio, de modo a que no clube se viva um clima de harmonia e camaradagem.

- Preservar todo o material de treino e instalações desportivas.

- Colocar o lixo nos devidos locais para o efeito.

- Não comer dentro dos balneários, salas de apoio ou campo.

- É proibido jogar à bola fora do campo de jogo.

- Adotar atitudes e comportamentos dignos dentro do recinto desportivo.

- Proceder com correção para com todos os elementos do clube.

 

DEVERES DO CLUBE:

Tratar e respeitar de igual modo todos os atletas, assim como os respetivos pais ou encarregados de educação.

Dar a todos os atletas as mesmas condições para uma boa aprendizagem em treino, reservando-se ao direito de escolher os atletas convocados para representar o clube nas competições que participe.

Tratar e se necessário promover o tratamento de todos os atletas que tenham lesões ao serviço da UDRA.

 

NORMAS DE CONDUTA DOS TREINADORES

- Respeitar todos os atletas, funcionários, diretores e pais/encarregados de educação dos atletas;

- Planear e orientar todas as sessões de treino de acordo com os objetivos definidos;

- Ensinar os conteúdos através de atividades seguras e adequadas às necessidades e características dos praticantes;

- Valorizar fundamentalmente o esforço e o progresso na aprendizagem;

- Ensinar e desenvolver nos praticantes as regras de jogo, espírito de fair play e comportamento desportivo apropriado;

- Garantir que os praticantes se divirtam e se desenvolvam enquanto jogadores de futebol e pessoas;

- Proporcionar às crianças e jovens a alegria e o prazer do jogo, promovendo o gosto e o hábito pela prática desportiva;

- Não utilizar e não permitir que seja utilizada linguagem abusiva;

- Ser responsável por levantar e trazer todo o material de treino; certificar-se que tudo ficou arrumado;

- Ser o primeiro a entrar no recinto de jogo e ser o último a sair.

- Nos jogos proteger sempre os atletas entre o balneário e o campo, sempre um treinador na frente e outro atrás.

 

DIREITOS DO ATLETA

- Usufruir de treinos de qualidade de forma a proporcionar a realização de aprendizagens bem-sucedidas;

- Usufruir de um ambiente proporcionado pelo treinador que permita condições ótimas para o seu desenvolvimento físico, técnico, tático, psicológico, intelectual, moral, cultural e cívico, como também para a formação da sua personalidade;

- Participar nas competições federadas na Associação de Futebol de Lisboa;

- Usufruir das instalações desportivas, nomeadamente, de balneário equipado com banhos quentes, e com sanitários e zona de vestuário limpa;

- Ver reconhecido e valorizado o mérito, a dedicação, o esforço no treino e no desempenho escolar e ser estimulado nesse sentido;

- Ser assistido de forma pronta e adequada em caso de lesão manifestada no decorrer dos treinos.

 

DEVERES DO ATLETA

- Conhecer o manual de acolhimento e boas práticas, cumprindo-o na integra;

- Todos os Atletas, antes de iniciar a sua atividade, têm que se inscrever na secretaria do clube mediante o pagamento de uma joia e da respetiva quota mensal;

- O pagamento da mensalidade é impreterivelmente efetuado até ao dia 8 do mês corrente; em caso de incumprimento, o atleta não pode ser convocado; a partir do 30º dia do mês corrente, se houver incumprimento não pode usufruir dos treinos;

- Comparecer com pontualidade a todos os compromissos firmados (treinos, jogos ou atividades) e devidamente equipados.

- O atleta que não se apresentar devidamente equipado, não poderá participar nos treinos ou jogos.

- O equipamento deverá estar limpo e em boas condições.

- É obrigatório o uso de caneleiras.

- As botas deverão ter os atacadores apertados.

- Não é permitido em treino ou jogo, o uso de objetos contundentes, (brincos, piercings, etc.).

- Para jogar no clube o atleta terá de ter o exame médico desportivo em dia e este tem de ter obrigatoriamente o eletrocardiograma analisado pelo médico.

- Confiar e seguir as orientações do treinador relativo ao processo de treino;

- As faltas aos treinos e às competições deverão ser devidamente justificadas, com antecedência ou no dia seguinte; a falta da justificação no prazo estabelecido implica uma sanção desportiva por parte do treinador;

- Respeitar a integridade física e moral de todos os elementos do clube; a falta de respeito ao treinador, diretor ou a qualquer outro funcionário do clube origina à abertura de um inquérito para processo disciplinar;

- Zelar pela preservação, conservação e asseio das instalações, bem como do material de treino, fazendo uso correto dos mesmos;

- Ser atleta a tempo inteiro, ter cuidado com a alimentação em especial nos períodos de férias. Evitar comidas muito calóricas e ou processadas.

- Repousar é tão importante como o treinar. Em especial antes dos dias de jogos é fundamental que estes durmam cedo e que a recuperação seja efetiva para estarem a 100% para o desafio.

- Conhecer as normas de funcionamento da secretaria e do regulamento Interno, cumprindo-as integralmente;

 

 

DISCIPLINA

- É expressamente proibido contestar de forma desapropriada a convocatória;

- Treinar ou representar outros clubes, sem prévia autorização do coordenador técnico ou diretor da entidade formadora;

- A violação pelo praticante de alguns deveres e normas de conduta previstos no manual de acolhimento e boas práticas, constitui infração disciplinar a qual pode levar à aplicação das seguintes medidas disciplinares:

a) Repreensão

b) Suspensão

c) Expulsão

- As medidas disciplinares a aplicar serão analisadas, posteriormente ao inquérito, por uma comissão constituída pelo Diretor da Entidade Formadora, pelo Coordenador do Técnico e pelos treinadores da equipa. Esta será comunicada por estes.

 

NORMAS DE CONDUTA DOS PAIS

- Respeitar as regras de boa conduta

- Após os treinos, fale com o seu filho sobre os aspetos positivos e negativos da sua prestação, enfatizado os positivos;

- Apoie o seu filho, mas não lhe dê indicações (deixe isso a cargo dos Treinadores);

- Elogiar o esforço e os progressos conseguidos pelos atletas;

- Não discutir com os agentes desportivos;

- Não criticar os resultados alcançados pelos atletas

- Aplaudir todas as boas jogadas;

- Privilegiar e incentivar a relação entre os atletas e a equipa técnica;

- Seja o principal fã do seu filho;

- Respeite os Treinadores, os outros Pais e todos os Praticantes;

- Fomentar um bom relacionamento com acompanhantes das equipas adversárias;

- Não esqueça que o jogo é para as crianças e não para a glória dos Pais

- Comportamento respeitador e comedido perante os resultados e ajudá-los a lidar com a vitória e com a derrota.

- Não criar expectativas exageradas sobre o futuro desportivo dos filhos;

- Não recorrer, à proibição da prática desportiva como castigo dos resultados escolares, mas sim, em conjunto

com a estrutura do clube delinear estratégias para ajudar a ultrapassar esses resultados;

- Ajude o seu filho a centrar-se na prestação e não no resultado;

 

FILOSOFIA DE FORMAÇÃO / RECRUTAMENTO

A União Desportiva e Recreativa de Algés tem na sua formação uma filosofia de continuidade, tanto de treinadores como de atletas. Formamos os nossos, através de um processo contínuo na esperança de estarmos mais próximos da nossa missão.

 

O nosso recrutamento só é feito a atletas que não estejam ou não compitam por outro clube, através de campanhas de angariação nas escolas e atividades diversas de promoção da academia. Achamos que o recrutamento, em especial nas camadas mais jovens é algo extremamente negativo para os grupos/equipas/atletas/pais. Hoje em dia a maioria dos clubes de “formação” limitam-se no final do ano a escolher e a convencer atletas e pais, que o seu projeto é que é o vencedor e fazem-no cada vez com estratégias mais agressivas.

 

Neste tipo de academias que se dizem “formadoras” todos os anos é um vaivém de atletas, à procura da vitória a qualquer custo, com a entrada dos mais aptos e a saída dos menos aptos (naquele momento) reforçando-se significativamente no campo desportivo, mas destruindo muitas ligações de amizade, e acima de tudo quebrando a identidade de pertença a um grupo a um clube.

 

Muitos destes atletas que se deixam levar pela ambição de jogar por um emblema diferente, sentem mais tarde a crueldade do sistema, pois também eles podem estar no grupo dos dispensados no final do ano.

 

 A nossa dispensa de atletas só existe na eventualidade de o atleta não manifestar o mínimo de condições para ter sucesso, até nos jogos mais acessíveis e para nós será fundamental que este tenha possibilidades de estar perante ambientes competitivos e acima de tudo ambientes onde haja equilíbrio para este ter sucesso ajustado às suas características. Nestas decisões serão sempre ponderadas as fases menos positivas dos atletas bem como paragens prolongadas por lesão.

SOLICITAR INFORMAÇÕES

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon